Notícias


Brasil está há mais de um ano sem conseguir comprar testes para diagnosticar tuberculose latente Brazil is unable to purchase tests for latent tuberculosis for over a year

Empresa deixou de fabricar o produto em junho de 2014. Especialista aponta que o País tem tecnologia para produzir o insumo e até mesmo exportá-loThe company ceased the production in June 2014 Expert says the Country has enough technology to produce the tests and even export it

03/06/2015

Em

Em abril, Dr. Croda representou a SBMT em reunião da Rede TB, que busca junta a OMS construir uma agenda de pesquisa nacional que seja modelo para o resto do mundo

O Brasil está no 17º lugar no ranking de países com maior carga da doença. Com a incidência de 33,4 por 100 mil habitantes e de mortes de 2,3 por 100 mil habitantes, o País tem o desafio de reduzir, até 2035, o coeficiente de incidência da enfermidade em 90% e, de óbitos, em 95%. Para atingir esses objetivos é preciso aperfeiçoar principalmente os métodos preventivos. Um dos testes que pode auxiliar nessa tarefa, no entanto, já não é comprado pelo governo brasileiro há mais de um ano e até hoje não uma alternativa para obter o insumo.

Trata-se do teste tuberculínico, também chamado de PPD (derivado de proteína purificada, na sigla em inglês), usado para diagnosticar tuberculose latente – a forma assintomática da doença. Quando o exame acusa positivo para a forma assintomática, o paciente inicia um tratamento preventivo da tuberculose, com apenas um medicamento. Quando a enfermidade é ativa, é tratada com um coquetel de remédios.

Em populações especiais como indígenas, crianças e principalmente pessoas vivendo com HIV/AIDS, é necessário iniciar um tratamento preventivo para evitar que a doença se desenvolva para a forma ativa. O PPD faz o diagnóstico da tuberculose latente e nessas populações especiais recomenda o inicio do tratamento.

O governo brasileiro fazia a encomenda de uma nova remessa de kits para o período de 2014/15, no primeiro semestre do ano passado, quando foi avisado que o laboratório produtor, na Dinamarca, havia sido vendido e interrompeu a produção.

“Já estamos no meio do ano de 2015 e não temos uma perspectiva de resolução desse problema. Acho que é importante tentar viabilizar uma resolução o mais rápido possível para que tenhamos algum teste de diagnóstico de tuberculose latente”, disse o infectologista Julio Croda.

Segundo o ofício circular nº 25 do Ministério da Saúde (MS), de junho do ano passado, as negociações para a compra do teste foram iniciadas em setembro de 2013. No entanto, após renegociações de preço, somente no meio do ano passado foi possível concluir o processo de aquisição dos kits, mas a negociação não chegou a ser concluída.

Em novembro do ano passado, a Pasta soltou uma nota informando que o teste de PPD é um exame complementar aos principais métodos de diagnóstico laboratorial da doença, que são baciloscopia, exames clínicos e de raio X. Ainda de acordo com o Órgão, o Brasil já oferece o teste rápido de tuberculose, sendo um dos primeiros do mundo a implementar este método de diagnóstico. Lembrou, ainda, que a falta do PPD é mundial.

Segundo o Dr. Croda, é fundamental que haja testes específicos como o PPD para a descoberta preventiva de tuberculose latente. Ele afirma que há alternativas como o Igra, já adotado nos Estados Unidos. No entanto, esse tipo de exame é mais caro e necessita de alguma estrutura laboratorial.

“O Brasil dispõe de institutos, como a Fiocruz e o Butantan que dispõem de tecnologia e capacidade para produzir este insumo nacionalmente, capaz de atender a demanda interna e, até mesmo, a externa. O País pode assumir um papel de liderança para suprir essa carência: fabricar o PPD e disponibilizá-lo ao resto do mundo”, explicou o Dr. Croda.

Workshop

Em abril, o Dr. Julio Croda foi o representante da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) na reunião da Rede Brasileira de Pesquisas em Tuberculose (Rede TB), que busca junta a Organização Mundial da Saúde (OMS) construir uma agenda de pesquisa nacional que seja modelo para o resto do mundo. “Durante o encontro, foram criados grupos específicos para começar a redigir uma proposta de trabalho. Foi uma primeira reunião para criar uma agenda comum de pesquisa em tuberculose a ser exemplo para o mundo, de como a pesquisa e a inovação podem trazer impactos na redução da mortalidade e da incidência de tuberculose”, disse o infectologista. O grupo foi formado 2001 com cerca de 300 pesquisadores de 60 instituições brasileiras.

Dr.

Dr. Croda represented the BSTM in a workshop by Rede TB, which works along with the WHO to build a national research agenda to serve as model to the rest of the world

Currently Brazil is the 17th place among those with most cases of the disease. With disease records (33.4 per 100 thousand inhabitants) and death records (2.3 per 100 thousand inhabitants) considered high, the Country faces the challenge to decrease until 2035 the diseases incidence ratio by up to 90%, and deaths by 95%. To reach these goals, especially the current prevention methods need enhancements. One of the tests that could assist in this task, however, is not purchased by the government for over a year and until now there are no alternatives to acquire.

The tuberculin test, also named PPD (from Purified Protein Derivative), used to diagnose latent tuberculosis, the asymptomatic form of the disease. When the tests is positive for the asymptomatic form, the patient engages in a preventive treatment for tuberculosis, with a single drug. When the disease is active, it is treated with a cocktail of medications.

Among special populations such as indigenous, children and especially people living with HIV/AIDS, a preventive treatment is necesseray in order to avoid the development of the active form of tuberculosis. The PPD is able to perform the diagnosis of latent tuberculosis and recommend treatment for these populations.

The Brazilian government was ordering the kits for the 2014/15 period in last years first semester when the producing laboratory, from Denmark, informed it had been sold and interrupted the production.

We are close to the middle of 2015 and there are no prospects to solve this issue. I find important to try a resolution so we can have any kind of latent tuberculosis diagnostic test, said Dr. Julio Croda, doctor in Pathology.

According to the official note no. 25 from the Health Ministry, from last June, the negotiations to purchase the tests begun in September 2013. However, after the price negotiations, only in the middle of the last year the completion of the acquisition process, but the negotiation was not concluded.

In November 2014, the Board released a note informing the PPD test is a complementary exam for the main laboratorial diagnostic methods of the disease, which are skin smear, clinical and x-ray exams. Still according to the Board, Brazil already offers a rapid test for tuberculosis, being one of the first countries in the world to implement this diagnostic method. Also highlighted the PPD scarcity is worldwide.

According to Dr. Croda, it is fundamental to have specific tests as PPD for the preventive discovery of latent tuberculosis. He says there are alternatives as the Igra, already in use in the USA. However, this exam is more expensive.

Brazil has institutes, as Fiocruz, who have enough technology and conditions to produce this product nationally, capable to supply the internal demands, and even the external. The Country could assume a role to supply this deficiency: produce the PPD and make it available for the rest of the world, said Dr. Croda.

Workshop

In April, Dr. Julio Croda was the representative of the Brazilian Society of Tropical Medicine (BSTM) in a workshop by the Brazilian Network of Tuberculosis Research – Rede TB, which works along with the WHO to build a national research agenda to serve as model to the rest of the world. During the meeting, specific groups were created to begin developing a work proposition. It was a preliminary meeting to build a common agenda in tuberculosis research in order to serve as an example to the world of how research and innovation can impact reducing tuberculosis mortality and incidence, said the infectious disease expert. The group started in 2001 with around 300 researchers from 60 Brazilian institutions.