Notícias


Congresso atenta para importância de pesquisas direcionadas à nova Medicina TropicalThe importance of researches in new Tr

13/08/2013

Congresso

Fazer com que o Brasil assuma a liderança na investigação de temas tropicais foi um dos pontos de debate do 49º Congresso da SBMT

Os 25 anos do Sistema Único de Saúde (SUS) e os 60 anos do Ministério da Saúde (MS), comemorados neste ano, foram lembrados durante a abertura do 49º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT), realizada no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo,em Campo Grande/MS. O evento reuniu mais de 1,5 mil participantes de variados países, entre palestrantes, profissionais da saúde e estudantes de graduação e pós-graduação.

Na pauta, uma importante discussão para o mundo sobre o que é Medicina Tropical – uma nova conceituação que implica em dois pontos principais: a Medicina Tropical voltada às doenças tropicais urbanas, tanto as infecciosas como não infecciosas, bem como as de causas externas , a exemplo de drogas, violência, acidentes de motocicletas e poluição.

Segundo Dr. Rivaldo Venâncio da Cunha, presidente do evento, pela primeira vez na história dos 51 anos da SBMT, um congresso é realizadoem Mato Grossodo Sul/MS. Ele destacou que a diversidade cultural nas regiões dos trópicos é um fator preponderante para a incidência das doenças tropicais nas fronteiras.

Na ocasião, Dr. Cunha ressaltou que, os 25 anos do SUS, são marcados por conquistas e desafios. “Ainda falta muito para ser melhorado, mas o Sistema realmente é um patrimônio do povo brasileiro”, afirmou.

Brasil como liderança dos trópicos
Dr. Rubens Santiago Nicholls, representante da Organização Pan-Americana da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), reforçou que o Brasil exerce uma grande liderança na América Latina e que os gestores da saúde pública têm se empenhado muito nas cooperações com outros países.

Já a importância da SBMT para a medicina brasileira foi destacada pelo Dr. Paulo Gadelha, presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Segundo o especialista, por meio de seus congressos, ela reforça cada vez mais o campo das pesquisas relacionadas às doenças tropicais.

Dr. Carlos Costa, então presidente da SBMT, explicou que a Medicina Tropical está em defesa dos povos tropicais, mesmo tendo sido iniciada fora dos trópicos. Ele lembrou que o Brasil é o 5º maior País do mundo e que muitas pesquisas ainda precisam ser feitas para se conter as doenças. Durante sua explanação, apresentou slides, mostrando lugares em que as doenças tropicais se desenvolvem com intensidade e quais as causas que levam à propagação dessas enfermidades.

 

SUS como espaço para pesquisas
O secretário nacional de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Dr. Jarbas Barbosa, foi condecorado presidente de honra do Congresso. Ele participou da cerimônia de abertura do evento e frisou que em 2013 há três comemorações importantes no Brasil: 60 anos do Ministério da Saúde, 40 anos do Programa Nacional de Imunizações e 25 anos do SUS.

Dr. Jarbas detalhou que a saúde pública encontrou no SUS um espaço muito significante para pesquisas e que nesses 25 anos uma luta foi travada, no sentido de se obter avanços na medicina. O secretário citou como exemplos de iniciativas relevantes, o Programa de Atenção à Saúde da Família – que atende mais de 100 milhões de brasileiros – e o acesso a medicamentos. Segundo ele, uma das maiores dificuldades encontradas no sistema de saúde brasileiro é a falta de acesso. “Por isso temos recebido um grande reforço da academia brasileira para as pesquisas. Mesmo com alguns percalços, vejo com muito otimismo a saúde pública”, apontou.

Já o presidente da Comissão Científica do Congresso e diretor da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Dr. Júlio Croda, destacou os 900 trabalhos científicos inscritos no evento. Em sua avaliação, isso comprova que pesquisas relativas à Medicina Tropical estão em consolidação no Brasil. “O Congresso foi muito importante, pois representou um momento único para se adquirir competências, bem como um salto na Medicina Tropical. Além disso, possibilitou firmar parcerias que garantirão avanços nas pesquisas dessa área”, concluiu.

 

Congresso

Making Brazil lead investigations on tropical themes was one of the debates in the 49th BSTMs Congress.

The 25 years of the Unified Health System (UHS) and the 60 years of the Health Ministry (HM), celebrated this year, were remembered during the 49th Congress of the Brazilian Society of Tropical Medicine (BSTM) that was held in the Arquiteto Rubens Gil de Camillo Conventions Center, in Campo Grande/MS. The event gathered over 1.500 participants from various countries, among speakers, health professionals and graduate and post-graduate students.

In the agenda, a relevant discussion to the world, about what is Tropical Medicine – a new concept that imply in two main items: Tropical Medicine guided towards urban tropical diseases, both infectious as non-infectious, as well as the external causes, such as drugs, violence, traffic accidents and pollution.

According to Dr. Rivaldo Venancio da Cunha, the events president, for the first time in the BSTMs 51 years, a congress is held in Mato Grosso do Sul. He pointed that the cultural diversity in the tropics is a preponderant factor for the incidence of tropical diseases in the borders.

In the occasion, Dr. Cunha highlighted that the UHS´ 25 years were marked by conquers and challenges. “There is much to be enhanced, but the system is truly a patrimony of the brazilian people”, affirmed.

Brazil as a leader in the tropics

 
Dr. Rubens Santiago Nicholls, representantive of the Pan American Health Organization and of the World Health Organization (PAHO/WHO), reinforced that Brazil carries out great leadership in Latin America and the the Public Health managers have been dedicated to cooperate with other countries.

The importance of the BSTM to the Brazilian medicine was highlighted by Dr. Paulo Gadelha, national president of the Oswaldo Cruz Foundation (Fiocruz). According to the specialist, through its congresses, it gradually reinforces the field of tropical diseases related researches.

Dr. Carlos Costa, BSTMs former president, explained that the Tropical Medicine is in the tropical peoples defense, even though it was started outside of the tropics. He remembered that Brazil is the 5th largest country in the world and that many researches must be done to contain the diseases. During his explanation, he presented slides, showing places where the tropical diseases develop more intensively and which are the causes that lead to these diseases propagation.

UHS as a field for researches
The national secretary of health surveillance from the Health Ministry, Dr. Jarbas Barbosa, was awarded Honorable President of the Congress. He participated in the opening ceremony and pointed that in 2013 there are three important celebrations in Brazil: the 60 years of the Health Ministry, the 40 years of the National Immunization Program and the 25 years of the Unified Health System.

Dr. Jarbas detailed that the public health found in the UHS a significant field for researches, and that during these 25 years a battle for medical advances was fought. The secretary quoted as relevant iniciative examples the Program Family Health Attention – that serves over 100 million brazilians – and the access to medications. According to him, one of the main struggles in the brazilian system is lack of access. “This is why we have received a great support from the brazilian academies for research. Despite some mischances, I see the Public Health with great optimism”, he pointed.

The president of the Congress Scientific Commission and director of the Health Sciences School from the Federal University of Grande Dourados (UFGD), Dr. Julio Croda, highlighted the 900 abstracts submitted to the event. In his analisys, this proves that researches related to the Tropical Medicine are consolidating in Brazil. “The congress was very important, because it represented an unique moment to acquire competences, as well as a leap for Tropical Medicine. Besides this, it allowed partnerships to be firmed,  which will assure great advances in this areas researches”, concluded.