Notícias


Artigos de pesquisadores brasileiros estão entre os mais publicados em revista internacionalArticles by Brazilian research

10/12/2012

Artigos

O Fato de pesquisadores brasileiros submeterem expressivo número de trabalhos no PL0S (364) revela o potencial e expressivo interesse da comunidade científica brasileira nas doenças tropicais

A PLoS Neglected Tropical Diseases, da Public Library of Science, destacou o Brasil como o segundo país do mundo a submeter artigos científicos para publicação na revista, atrás apenas dos Estados Unidos. Para o professor emérito da Universidade de Brasília (UnB), membro titular da Academia Brasileira de Ciências e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Protozoologia, Dr. Isaac Roitman, o fato de pesquisadores brasileiros terem submetido um expressivo número de trabalhos no PL0S (364) revela o potencial e expressivo interesse da comunidade científica brasileira nas doenças tropicais negligenciadas. “Essas doenças têm prevalência em paí­ses pobres e em desenvolvimento que justifica direcionar esforços para o seu controle ou erradicação”, avalia Dr. Isaac.

No Brasil o grande impulso para pesquisas nessa área veio após a criação, pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), na década de 70, do Programa Induzido de Doenças Endêmicas (PIDE) – um marco nos efeitos da política de Ciência e Tecnologia  com efeitos positivos de médio e longo prazo, conforme assegura o membro titular da Academia Brasileira de Ciências. “Inicialmente o programa elencou dois temas prioritários: doença de Chagas e esquistossomose. As reuniões anuais de Pesquisa Básica em Doença de Chagas (Caxambu) e Pesquisa Aplicada (Uberaba) foram frutos desse programa”, lembra o especialista ao comentar que essas reuniões ampliaram as temáticas e estimularam a criação da Sociedade Brasileira de Protozoologia que passou a discutir outras doenças importantes, entre elas a malária e as leishmanioses. Dr. Isaac destaca outra consequência significativa impulsionada  pelo PIDE: a expressiva participação de pesquisadores brasileiros no Tropical Disease Research (TDR) da Organização Mundial da Saúde (OMS). “Outro aspecto fundamental do PIDE, foi o papel que desempenhou na formação de recursos humanos qualificados para a pesquisa biomédica, o que explica hoje o grande número de artigos submetidos ao PLoS Neglected Tropical Diseases”, analisa.

Questionado por que grande parte dos pesquisadores brasileiros dá preferência à publicação dos artigos fora do país, Dr. Isaac explica que no Brasil existe ainda um pequeno número de revistas indexadas com capilaridade internacional e que não atendem a demanda da  produção científica na área biomédica e de outras áreas do conhecimento. “Creio que no futuro haverá outras fontes de divulgação aqui, principalmente de revistas com versão eletrônica”, pondera. Ele assinala que os artigos publicados em revistas brasileiras não indexadas é um obstáculo para a divulgação da produção científica na comunidade internacional. Mas garante que isto não significa que esses artigos tenham baixa qualidade. “Muitas vezes ele não é publicado na língua internacional reconhecida que é o inglês o que também dificulta a divulgação em nível internacional”, acredita. Para ele, a introdução de novas revistas indexadas poderá reverter o atual quadro.

Dr. Isaac ressalta que alguns eventos têm chamado a atenção da comunidade científica internacional, como os Congressos da Sociedade Brasileira de Protozoologia, da Sociedade Brasileira de Parasitologia e da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. “Penso que a qualidade das publicações na área de doenças negligenciadas é boa. Os trabalhos feitos por pesquisadores brasileiros têm reconhecimento internacional”, comenta ao alegar que isso também favorece a publicação dos artigos produzidos no país em revistas estrangeiras.

De acordo com o especialista, um grande número de excelentes pesquisadores brasileiros tem publicado seus trabalhos em revistas brasileiras indexadas. Segundo ele, a publicação nesses veículos tem divulgação e repercussão equivalentes às das melhores revistas publicadas no exterior. “Algumas, editadas no Brasil, alcançaram o índice de qualidade das melhores revistas de circulação internacional. Entre elas, na área biomédica, as Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Brazilian Journal of Medical and Biological Research, Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Revista de Microbiologia (Journal of the Brazilian Society for Microbiology) e a Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo. Na área multidisciplinar é importante destacar os Anais da Academia Brasileira de Ciências”, enumera o especialista.

“A CAPES estabeleceu um ranking de qualidade das revistas científicas em todas as áreas de conhecimento que é conhecido como Qualis”, revela Dr. Isaac. Segundo ele, esse ranking é atualizado de forma permanente e as revistas brasileiras de boa qualidade devem ter posição equivalente às melhores revistas do mundo. “A expectativa é de que à medida que a ciência brasileira sofre um processo de consolidação, como ocorre atualmente na área biomédica, as revistas científicas brasileiras de boa qualidade recebam o reconhecimento que legitimamente merecem.”

PLoS Neglected Tropical Diseases

Inglaterra e a França dividem a terceira posição com o maior número de submissões de artigos para a PLoS Neglected Tropical Diseases. A revista também recebe contribuições de outros países da América Latina, como Peru, México e Argentina. Cerca de metade dos trabalhos submetidos é de países do hemisfério Sul.

No editorial da Revista, os professores Peter Hotez, do Núcleo Medicinal da Universidade George Washington, e Serap Aksoy, da Escola de Saúde Pública de Yale, ambos nos Estados Unidos, apontam que “as submissões do Brasil têm sido de qualidade extremamente alta e abrangem uma amplitude de tópicos, de patogênese molecular e aspectos clínicos à epidemiologia e política.”

Artigos

The Fact that Brazilian researchers submitted significant number of studies in PL0S (364) reveals the potential and significant interest from the Brazilian scientific community in tropical diseases

PLoS Neglected Tropical Diseases, of the Public Library of Science, has highlighted that Brazil is number two in the world, in the ranking of countries that most submit scientific articles for publication in the journal, behind the United States. Dr. Isaac Roitman, Professor Emeritus at UNB, a member of the Brazilian Academy of Sciences and former president of the Brazilian Society of Protozoology, says the number of Brazilian researchers submitting articles to PL0S (364) reveals the potential and interest of its scientific community in neglected tropical diseases. “These diseases are highly prevalent in poor and developing countries, justifying direct efforts for their control or eradication”, says Dr. Isaac.

In Brazil the major push for research in this area came in the 70s after the National Council for Scientific and Technological Development (CNPq) created the Endemic Diseases Induced Program (PIDE) – a milestone in the effects of Science and Technology policy with positive medium and long term results, says Roitman. “Initially, the program chose two principal themes: Chagas disease and schistosomiasis. The annual meetings of Basic Research in Chagas Disease (Caxambu) and Applied Research (Uberaba) were fruits of this program”, says the expert. He says these meetings expanded the thematics and spurred the creation of the Brazilian Society of Protozoology, which started to discuss other important diseases, including malaria and leishmaniasis. Dr. Roitman highlights another important consequence of PIDE: the significant participation of Brazilian researchers in Tropical Disease Research (TDR) at the World Health Organization (WHO). “Another key aspect of PIDE was its role in the formation of qualified human resources for biomedical research, which explains the current large number of submissions to PLoS Neglected Tropical Diseases.

Asked why many Brazilian researchers prefer publishing articles abroad, Roitman explains that in Brazil the number of journals with international indexing is small and they do not meet the demand of scientific production in the biomedical field and other areas of knowledge. “I think that in the future there will be other sources of disclosure here, especially electronic versions of journals”, he adds. He notes that the articles published in Brazilian journals that are not indexed are obstacles to the dissemination of scientific production among the international community. But he ensures that this does not mean that these items are low quality. “Often it is not published in the internationally recognized language, English, which also hinders its international dissemination”, he believes. In his opinion, the introduction of new indexed journals could reverse the current situation.

Roitman notes that some events have drawn the attention of the international scientific community, such as the congresses of the Brazilian Society of Protozoology, of the Brazilian Society of Parasitology and the Brazilian Society of Tropical Medicine. “I think the quality of publications in the area of neglected diseases is good. The studies by Brazilian researchers have won international recognition”, and that favors the publication of articles produced in the country in foreign journals.

According to Roitman, many excellent Brazilian researchers have published their work in indexed Brazilian journals. According to him, these vehicles have a distribution that is the equivalent of the best journals published abroad. “Some of them, edited in Brazil, have achieved the same quality index as top international journals. Among them, in the biomedical field, are the Memoirs of the Oswaldo Cruz Institute, the Brazilian Journal of Medical and Biological Research, the Journal of the Brazilian Society of Tropical Medicine, the Journal of the Brazilian Society for Microbiology and the Journal of the São Paulo Institute of Tropical Medicine. In the multidisciplinary field, it is important to highlight the Annals of the Brazilian Academy of Sciences”, he says.

“CAPES has established a quality ranking of scientific journals in all areas of knowledge, known as Qualis”, says Roitman. According to him, this ranking is updated continually and Brazilian journals of good quality should have a position equivalent to the best journals in the world. “The expectation is that while Brazilian science undergoes a process of consolidation, as is currently taking place in the biomedical field, high quality Brazilian scientific journals will receive the recognition they rightfully deserve.”

PLoS Neglected Tropical Diseases

Britain and France share the third position in terms of the highest number of manu submissions to PLoS Neglected Tropical Diseases. The journal also receives contributions from other Latin American countries, such as Peru, Mexico and Argentina. About half of the studies submitted originate from Southern Hemisphere countries.

In the editorial of the Journal, professors Peter Hotez, of the Medical Center of George Washington University, and Serap Aksoy, Yale School of Public Health, both in the United States, indicate that “the submissions from Brazil have been extremely high quality and cover a range of topics, from molecular pathogenesis and clinical aspects to epidemiology and policy.”